1º Campeonato Mineiro de Judô Funcional

Transmissão ao vivo pelo canal da FMJ no YouTube

FMJ promove 1º Campeonato Mineiro de Judô Funcional
18/09/2020 - O 1º Campeonato Mineiro de Judô Funcional, organizado pela Federação Mineira de Judô (FMJ) será realizada totalmente online e os melhores colocados vão garantir vagas para disputar o Campeonato Brasileiro de Judô, organizado pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

O Mineiro de Judô virtual tem abertura oficial nesta sexta-feira, 18 de setembro, às 19h30, e as disputas começarão a partir de sábado, no mesmo horário. A competição será transmitida ao vivo pelo canal da FMJ no YouTube.

Canal FMJ YouTube

O campeonato será disputado pelas classes Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior e Veterano, masculino e feminino, no formato individual. Os atletas serão convocados a realizar séries de exercícios físicos e de técnicas de judô. Será o vencesor do confronto o atleta que executar o maior número de repetições válidas, determindas pela FMJ, no tempo estipulado para cada classe de idade. As disputas ocorrerão em melhor de três rounds e o atleta que vencer dois deles será declarado vencedor. Haverá um intervalo de um minuto entre cada parcial.

Juiz-forano representará cidade e região

O faixa preta, instrutor de judô e educador físico, Linus Pauling, de 43 anos, será o representante da Zona da Mata mineira na competição, classe Veterano. Natural de Juiz de Fora, o judoca ganhou destaque recente na revista do Conselho Nacional de Educação Física, por adotar, desde o início da pandemia, uma metodologia de ensino da arte marcial em formato online, convergente com o modelo que será aplicado no torneio desenvolvido pela federação.

Sobre a publicação, Linus Pauling diz: “O Conselho, ao publicar o meu trabalho, reconhece o esforço que, daqui de Juiz de Fora, nos coloca nacionalmente como exemplo de estar ensinando as artes marciais sem o contato físico”.

Segundo Linus, a arte marcial sem o contato físico está longe da sua forma ideal. Entretanto, ele acredita que essa é a alternativa mais segura para que os judocas continuem em movimento e em clima de competição. “Esse momento agora é para a gente testar e não ficar parado. Eu disputo outras modalidades e, por exemplo, no jiu-jitsu já tem a previsão de um campeonato (presencial) no fim do ano. Mas eu acredito que enquanto não existir vacina é muito complicado. Eu acho que a gente tem que escutar a ciência e repensar. Essa competição é muito bacana por causa disso, procura trazer outras formas, outra realidade, um novo normal, até chegar a vacina. Acredito que o judô vai tentar evitar o contato por enquanto, pois é muito perigoso”.