Arbitragem do Judô em Minas Gerais

Resgatando a História da Arbitragem

História da Arbitragem do Judô em Minas Gerais
21/09/2020 - A Federação Mineira de Judô (FMJ) foi fundada em 10 de junho de 1961 e, ao longo dos 59 anos de existência, a Instituição teve 12 presidentes, desde o primeiro dirigente, o Dr. Alberto de Lima Vieira, até o atual presidente, o Dr. Nédio Henrique Mendes da Silva Pereira.

Desde a fundação da FMJ, o judô mineiro vem se destacando no cenário Nacional e Internacional com grandes professores, técnicos, atletas e também com os seus árbitros. A arbitragem é um dos segmentos mais importantes desse esporte olímpico, exigindo esforço e dedicação semelhantes ao comprometimento de qualquer atleta que almeja participar de uma Olimpíada. Para a Federação Internacional de Judô (FIJ), o Brasil é, hoje, uma referência na arbitragem do judô mundial e Minas Gerais vem contribuindo significativamente também para essa realidade.

O maior destaque mineiro foi o árbitro Antônio Oliveira Costa, 9º DAN, hoje com 83 anos, sendo o primeiro árbitro internacional, FIJ A, de Minas Gerais. Esse nível foi conquistado em Colorado Springs, nos Estados Unidos; conquistou o nível FIJ B em Havana (Cuba); e o nível FIJ C em Quebec (Canadá). O Shihan Costa teve grandes atuações internacionais, como no Campeonato Mundial em Barcelona (Espanha), em 1991; Jogos da Juventude em Moscou (Rússia), em 1998; no primeiro Campeonato Mundial por Equipe em Paris (França); e no Campeonato Mundial Estudantil em Tóquio, (Japão). Além disso, o nosso árbitro foi diretor de arbitragem da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), durante a gestão de Joaquim Mamede.

Avelino Antunes da Silva, 84 anos, 6º Dan, representa o maior exemplo de persistência e disciplina na arbitragem em atuação na FMJ. Conquistou o nível internacional FIJ B em Lauro de Freitas (BA), em 2018. E o nível internacional FIJ C em Campo Grande (MS). Foi integrante da primeira comissão de arbitragem da FMJ, em 2013.

Árbitros de renome internacional

Campeonato Brasileiro Interclubes de Judô - Meeting Nacional Sub-18 e Sub-21
O árbitro internacional FIJ B, José Nonato da Cunha, 66 anos, 6º DAN, figura-se como um dos árbitros mais requisitados nas competições nacionais. Obteve o nível FIJ C por mérito e conquistou o nível FIJ B em Buenos Aires (Argentina), em 2018. Arbitrou no Desafio Internacional Brasil e Argentina em Belo Horizonte, em 2013. Foi integrante da primeira comissão de arbitragem da FMJ, em 2013.

Eduardo Nascimento, 64 anos, 5º DAN, conquistou o nível FIJ B na arbitragem em Buenos Aires (Argentina), em 2018, e o nível FIJ C em El Salvador (San Salvador), em 2013. Arbitrou no Campeonato Panamericano y Sudamericano 2018, Buenos Aires (Argentina), em 2018; no Panamerican Open Judo 2013 em El Salvador (San Salvador) e no Desafio Internacional Brasil e Argentina, em Belo Horizonte, em 2013. Foi presidente da primeira comissão de arbitragem da FMJ, em 2013.

João Luiz Campelo Bertola de Almeida (in memoriam), 5º DAN, árbitro internacional FIJ B, com passagem rápida, mas significativa pela FMJ, contribuiu para a formação e integrou a primeira Comissão de Arbitragem de Minas Gerais.

Antônio Carlos Costa, 70 anos, 7º DAN, como árbitro, conquistou o nível internacional FIJ C no Campeonato Sul-americano, realizado no Brasil, em 1990.

Pedro Ribeiro da Silva, 68 anos, 6º DAN, conquistou o nível internacional FIJ C na arbitragem, em Lauro de Freitas (BA), em 2018, e se mantém atuante nas competições nacionais.

Inspiração Familiar

Campeonato Brasileiro Interclubes de Judô - Meeting Nacional Sub-18 e Sub-21
O árbitro Afonso Salvador da Costa, 61 anos, 7º DAN, filho do árbitro Antônio Oliveira Costa, logrou o nível internacional FIJ C.

Outro destaque brilhante para o judô feminino, em Minas Gerais, foi a árbitra internacional FIJ C, Betsabá Conceição Salvador da Costa, 58 anos, 6º DAN, filha do árbitro Antônio de Oliveira Costa. Ela arbitrou no Campeonato Europeu de Judô, em Lisboa (Portugal), em 2000, e em vários campeonatos brasileiros, no período de 1997 a 2002.

Esley Barbosa de Carvallho, 58 anos, 4º DAN, conquistou o título de árbitro internacional nível FIJ C em Lauro de Freitas (BA), em 2018, e vem atuando nas competições de nível nacional. Foi integrante da primeira comissão de arbitragem da FMJ, em 2013.

Fernando Antônio Henriques Resende, 55 anos, 4º DAN, conquistou o título de árbitro internacional FIC C em Lauro de Freitas (BA), em 2018. Está atuando nas competições de nível nacional.

Ivan Fagundes Batista, 40 anos, 2º DAN, conquistou o título de árbitro internacional FIJ C no Open Santiago 2016 (Chile), sendo o árbitro brasileiro mais jovem entre os indicados ao exame. Foi integrante da primeira comissão de arbitragem da FMJ, em 2013.

Árbitros Aspirantes à Classe Internacional

01. Eduardo Luiz Nogueira Gonçalves
02. Geraldo Brandão de Oliveira
03. Jorge Teixeira Pinto
04. Rodrigo Alves da Silva

Árbitros Nacionais A

01. Carlos Renato Mello de Paula
02. Cícero Cerqueira Pereira Júnior (in memorian)
03. Herivelton Paulo Martins
04. Nelson Matsunaga (Presidente da Comissão de Arbitragem da FMJ)
05. Renato Afonso Amorim Antunes
06. Sidnei Tavares de Souza
07. Vladimir Roberto de Freitas

Árbitros Nacionais B

01. Almir Graciano
02. Carlos Alberto de Souza Simões
03. Cássio Rômulo Reis
04. Douglas Corrêa Oliveira
05. Elizabeth Oratina dos Santos Nascimento
06. Luizmar Otávio Silva
07. Samuel de Castro Carvalho Lima
08. Sóstenes Zucheratto
09. Wagner Giovane Barbosa

Árbitros Nacionais C

01. Alexandre Cristiano Silva
02. Clenizon dos Santos Silva Júnior
03. Daniel Assis Pereira
04. Eunar Leonel Thibau
05. Flávio Caetano da Silva
06. José Luiz da Silva
07. Juliana Monteiro Goulart Francisco
08. Kátia Aparecida Ribeiro de Souza
09. Nelson Tadashi Matsunaga
10. Rodrigo Miranda Luppi
11. Warley de Souza Viana
12. William César Ferreira

Árbitros Estaduais

01. Adão Álvares de Menezes (in memoriam)
02. Albano Augusto Pinto Correia Neto
03. Álvaro Paes Martins
04. Amanda Macedônio
05. André Luiz Miranda do Nascimento
06. Ângelo Augusto Ferreira
07. Aspigésimo Assunção Marliére Júnior
08. Bruno Oliveira Drummond
09. Caio Procópio de Alvarenga
10. Carlos Takehiko Iwafune
11. Celso Carvalho
12. Cláudia Jacqueline Gomide Pinheiro
13. Cleber Pinheiro Torres
14. Cleuza Augusta da Silva
15. Cléverson Moreira Scarpa
16. Daniel de Melo Mendes
17. Edson Davi (in memoriam)
18. Eduardo Alano Valadares
19. Emerson Patrício Mota de Souza
20. Euler Perácio Braga
21. Galileu José de Paiva Filho
22. Galvan Leal Machado
23. Helena Sayoko Matsunaga
24. Henrique Neto Silva
25. Jackson Macedo Viana
26. Jardel de Araújo Oriente
27. Jorge Martins Mucci
28. José de Souza
29. Leonardo Telles Silva Araújo
30. Leonide Valeriano Ferreira
31. Luiz Augusto Martins Teixeira
32. Marçal Perácio Braga
33. Marcelo Gustavo Domingos da Silva
34. Marcelo Gustavo Ferraz de Souza
35. Marcelo Melo Mendes
36. Marcio Nobuharo Iwafune
37. Marcus Áureo Radicchi (in memoriam)
38. Maria José de Jesus Souza
39. Mário Lúcio da Silva
40. Murilo Eustáquio Santos Figueiredo
41. Nagato Matsuda
42. Otávio Lamartine Leite Filho
43. Pablo Bernardo de Melo Dávila
44. Pedro Henrique Leite Barroso
45. Pedro Paulo Rodrigues Cândido
46. Raimundo de Assis Pereira (in memoriam)
47. Reinaldo Souza Santos
48. Ricardo Luiz Freitas
49. Robert Fabiano Maciel Pires
50. Rodrigo Borges
51. Ronaldo César de Aquino Martins
52. Sara Cristina Viana
53. Sérgio Sandro Batista Mattos
54. Último de Mesquita
55. Walter José da Silva (in memoriam)
56. Wander Tacchi
57. Wellington Luiz Ferreira de Figueiredo
58. Wilson Novaes Filho
59. Wilson Paulo de Oliveira

Todos estes ilustres árbitros, tanto os atuantes, quanto os que já atuaram ou os que já faleceram merecem o nosso respeito e a nossa consideração pela contribuição para o crescimento e fortalecimento da arbitragem em Minas Gerais.