IV Módulo de Padronização de Judô

Teoria e prática de Nage-no-kata e Katame-no-kata

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
17/09/19 – A Federação Mineira de Judô (FMJ) realizou o IV Módulo de Padronização de Judô, nestes 14 e 15 de setembro, no Minas Tênis Clube.
 
O presidente da FMJ, Nédio Henrique Pereira, abriu o evento agradecendo aos presidentes da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Sílvio Acácio Borges, e da Federação Espiritossantense de Judô (FEJ), Márcio Oliveira Almeida, pelas ações coletivas em favor do desenvolvimento do judô no Brasil.
 
Em seguida, Nédio passou a palavra ao ministrante do Módulo, o professor Irisomar Fernandes Silva – 6º Dan (FEJ). Essas aulas fazem parte dos requisitos para judocas que vão prestar exames à faixa preta e graus superiores.
 
O professor Irisomar ressaltou a honra de participar do Módulo e agradeceu a acolhida pelos senseis Antônio Carlos Costa (Comissão de Graus da FMJ) e Nelson Matsunaga (presidente da Comissão Estadual de Arbitragem). Na oportunidade, registrou as brilhantes atuações dos professores Vladimir Roberto de Freitas (3º DAN); Ponterclair Segóvia Barbosa, do ES; Cláudio José Coelho Costa e da professora Maria José de Jesus Sousa, que muito ajudaram na condução dos trabalhos.

Kata e Randori

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
Existem duas maneiras principais de praticar judô: Kata e Randori. O Kata, que literalmente significa "forma", é praticado segundo um sistema de exercícios combinados, enquanto Randori, que significa "prática livre", é praticado livremente. 

Através da prática de Kata, os judocas aprendem os princípios das técnicas.
 
Durante o módulo de Kata da FMJ, foram apresentados cinco Kata Kodokan, sendo os três primeiros com maior ênfase e detalhe, com a finalidade de que os candidatos à faixas pretas e graus superiores entendessem na totalidade o padrão de execução para os exames de graduação.

Nage-no-Kata (formas de arremesso)

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
Este Kata foi criado para ajudar os praticantes a entender os princípios e dominar as técnicas básicas de Nage-waza. 

Usado em Randori, é composto de três técnicas selecionadas de Te-waza, Koshi-waza, Ashi-waza, Ma-sutemi-waza e Yoko-sutemi-waza.
 
Praticado do lado esquerdo e direito em cada técnica, a base das técnicas de arremesso é adquirida pela prática de Kuzushi, Tsukuri, Kake e como receber cada técnica.

Katame-no-Kata (formas de agarrar ou segurar)

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
Foi estabelecido, junto com Nage-no-kata, por volta de 1885, nos primeiros dias após a fundação do Kodokan. Dizem que o Kata era originalmente composto por dez técnicas, mas depois expandido para quinze técnicas.

O Kata é composto por cinco técnicas selecionadas dentre Osaekomi-waza, Shime-waza e Kansetsu-waza; também é chamado de Randori no-kata, junto com Nage-no-kata.
 
A lógica básica de aplicação das técnicas com métodos corretos para dominar, estrangular e travar as articulações, as formas de escape e as reações são adquiridas aprendendo este Kata.
 

Ju-no-kata (formas de gentileza e flexibilidade)

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
Trata-se de uma composição ginástica expressiva dos métodos de ataque e defesa em uma série de ações lentas e moderadas. É composto por três grupos, cada um deles com cinco técnicas.

1. O Ju-no-kata pode ser exercitado e praticado livremente a qualquer hora e em qualquer lugar, em qualquer tipo de roupa.

2. Permite que qualquer homem ou mulher de qualquer idade desfrute de aprendizado, da lógica e dos princípios do judô.

3. Como é exercido em ações lentas e moderadas para ataque e defesa, facilita a compreensão precisa e fácil de seu raciocínio e legitimidade.

4. Como Ju-no-kata incorpora uma variedade de exercícios musculares e extensores, pode ser combinado com Randori para promover o desenvolvimento eficaz e saudável do corpo físico.

5. Ju-no-kata aprimora o cultivo de sentimentos estéticos adquirindo seu Tai-sabaki natural e movimentos suaves que mudam e alternam.

Kodokan Goshin-jutsu (formas de autodefesa Kodokan)

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
Este consiste em uma "seção desarmada" e uma "seção com armas". A "seção desarmada" consiste em 12 técnicas, enquanto a "seção armas" consiste em nove técnicas. 

O Goshin-jutsu foi criado em janeiro de 1956, referindo as técnicas de várias artes marciais diferentes.

Essas técnicas permitem a defensa, com as mãos vazias, contra quaisquer agressores armados ou desarmados e incorporam a cooperação mútua no conceito de judô que diz "pare a agressão com o mínimo de ferimentos".

Itsutsu-no-kata (formas dos "cinco")

IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
 
É um dos Kata do judô que utiliza de um conjunto de técnicas concebidas para o enfrentamento de certas condições de luta e reação a uma técnica contrária. 

No caso, o escopo do Kata é proporcionar o manuseio das energias por intermédio da interpretação e aplicação de cinco princípios naturais. 

Contém cinco técnicas apenas, pelo que se acredita ser um trabalho incompleto do mestre Jigoro Kano. Nele, estão condensados os princípios de movimentação e aproveitamento do ambiente, assim como, a relação que se dá com o rival. 

Pretende-se estudar e desenvolver as técnicas de Tai-sabaki.
 
Fonte: Kodokan Kata Textbook
IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata
IV Módulo de Padronização de judô – Nage-no-kata e Katame-no-kata