Comenda Kasato Maru para Mitsugu Iwafune

Instituto Kodokan do Brasil homenageia judô de Minas Gerais

Comenda Kasato Maru para Mitsugu Iwafune
Nas comemorações pelos 110 anos de imigração japonesa no Brasil, a família mais tradicional do judô de Minas Gerais foi homenageada. O filho, Márcio Nobuharu Iwafune (imagem), recebeu comenda em nome do pai, sansei Mitsugu Iwafune.

31/08/18 – Neste agosto, inúmeras entidades brasileiras realizaram eventos comemorativos dos 110 anos de imigração japonesa.
 
Em São Paulo, na tarde de sexta-feira (24/08), o Bunkyo Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa de Assistência Social, através do IKB (Instituto Kodakan do Brasil), outorgou a comenda Kasato Maru para 110 homenageados em cerimônia realizada pela Comissão para Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil.
 
A finalidade da comenda é de identificar e homenagear as pessoas físicas e jurídicas que contribuíram para o desenvolvimento da comunidade nipo-brasileira e para o crescimento da relação entre Brasil e Japão.
 
Entre os imigrantes homenageados pelo governo japonês estavam os professores kodanshas Shiro Matsuda (7º dan), radicado na Região dos Lagos, em Macaé (RJ); Michiharu Sogabe (9º dan), radicado no Vale do Paraíba, na cidade de São José dos Campos, e Mitsugu Iwafune (7º dan), professor falecido que difundiu o judô em Belo Horizonte e várias regiões de Minas Gerais.
 
Nascido em 4 de abril de 1933 na cidade de Miyako, na província de Iwate, no Japão, Mitsugu Iwafune chegou ao Brasil em 14 de julho de 1959 e iniciou a difusão do judô em 1960 na cidade de Itaquaquecetuba (SP). Posteriormente mudou-se para Belo Horizonte e formou judocas nas cidades de Poços de Caldas, Ipatinga e Belo Horizonte. Em 30 de outubro de 2006 o professor kodansha 7º dan faleceu, deixando como legado a transmissão dos princípios do judô a milhares de brasileiros.

Professores de origem japonesa homenageados

Comenda Kasato Maru para Mitsugu Iwafune
Representando o pai na cerimônia de outorga da comenda Kasato Maru e no jantar oferecido pelo IKB, Nobuharu Iwafune comentou a homenagem feita a seu pai pelo Bunkyo Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e o Instituto Kodokan do Brasil.
 
“Foi uma grande honra ver a o esforço e a dedicação de meu pai destacados numa cerimônia tão importante. Agradeço o jantar oferecido pela IKB, assim como o reconhecimento do trabalho de meu pai no cenário judoísta nacional”, disse Sensei Nobuo.
 
Fazendo um balanço final das homenagens prestadas aos quatro professores de origem japonesa, o presidente de honra da FPJudô (Federação Paulista de Judô), Francisco de Carvalho Filho, lembrou que todos são referência em seus Estados.

Os professores homenageados pelo governo japonês e pelo Ministério das Relações Exteriores do Japão desenvolveram um trabalho importantíssimo para o judô em suas regiões e Estados. Além de formar medalhistas olímpicos, o professor Umakakeba construiu o maior dojô do Brasil em Bastos. O sensei Shiro Matsuda é a maior referência de nossa modalidade na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Sensei Mitsugu Iwafune foi um dos introdutores do judô em Minas Gerais. O professor Michiharu Sogabe teve papel importantíssimo na gestão da FPJudô, em todo o Vale do Paraíba. O governo do Japão fez uma justa homenagem a quatro professores notáveis”, concluiu.
 
Após a cerimônia, o Instituto Kodokan do Brasil ofereceu jantar a várias autoridades e personalidades de destaque do judô nacional, dentre as quais Francisco de Carvalho Filho, presidente de honra da Federação Paulista de Judô (FPJudô); Takanori Sekine, presidente do Instituto Kodokan do Brasil (IKB), e esposa Itsuko Sekine; Shuhei Okano, presidente de honra do Instituto Kodokan do Brasil, e esposa Reiko Okano; Hatiro Ogawa, presidente do Hombu Budokan, e a filha Karina Ogawa; Shiro Matsuda e esposa Regina Celi Silva; Maria Mikiko Sogabe e Yasuhiro Sogabe, esposa e filho do sensei Sogabe; Nobuharu Iwafune e esposa Ana Iwafune; Uichiro Umakakeba e a esposa Linda Naomi Umakakeba; Jiro Ayoama, delegado da 7ª DRJ Sudoeste; Fuminori Kanegane, diretor financeiro do Instituto Kodokan do Brasil, e esposa Yukie Kanegane; Lúcia Silva, assistente do sensei Matsuda; Gustavo Carvalho Ferrari e Max Trombini, coordenador da AJB.